sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

ENTREVISTA - NADJA EL BALADY

BLOG: Conte-nos sobre sua trajetória na dança do ventre/tribal; como tudo começou para você? Voltei a dançar com 19 anos, na época em que fazia a formação em teatro. Na verdade esta foi minha primeira profissão. Totalmente abandonada em função da dança, posteriormente. Voltei a dançar porque queria me exercitar, fazer algo que desenvolvesse minha feminilidade, que me preenchesse. Neste período fiz dança do ventre, cigana, afro, maracatu, e dança espanhola. Depois fiquei só com a dança do ventre e o maracatu (danças populares brasileiras em geral). De todas, a dança do ventre foi a que me deu a sensação de estar voando... coisa mais preciosa para meu espírito.








BLOG: Deixe um recado para os leitores do blog. Dançar é auto conhecimento, é troca de energia, é buscar a felicidade. Ser profissional da dança é saber lidar com os ossos do ofício, mas se não estiver dando prazer e sim dor de cabeça, repense seu caminho. Você não precisa ser a melhor, a mais famosa nem a mais bonita. Só precisa ser você.


ENTREVISTA COMPLETA COM FOTOS E VÍDEOS:


Visite e curta: Nossa Tribo & Nossa Dança